Home > Serviços de control de pragas > Repelente de serpentes e cobras
Repelente de serpentes e cobras
Todo cuidado é pouco com cobras serpentes animais peçonhentas, pois acidentes podem ser fatais. Diante disso, devem ser tomadas todas as precauções que a situação exige.

Uma pulverização do produto repelente por uma firma especializada poderá durar ate 1 ano e pincelar junto as entradas e galinheiros para que elas não se escondam nesses locais.

Para o manejo de serpentes, usa-se o gancho e o pau-de-couro. Esses dois instrumentos se forem correctamente utilizados, são suficientes para capturar uma serpente, mudá-la de lugar ou imobilizá-la.

       
Normalmente as serpentes peçonhentas permanecem no gancho quando suspensas. Para essa operação, deve-se passar o gancho debaixo da serpente, na metade do corpo ou pouco para atrás. Com o gancho nessa posição, é mais fácil colocar a cabeça do réptil dentro de uma caixa de transporte; com a cabeça e parte anterior dentro da caixa, bastará dar leves toques com o gancho na cauda da serpente e ela recolherá o corpo para dentro da caixa.

Para abrir uma caixa que contenha serpentes ou quando se desconhece a espécie de serpente que está dentro, deve-se ficar atrás da caixa, desparafusá-la e abri-la com o gancho. Nunca tomar posição à frente da caixa, pois não se sabe em que posição o animal está em seu interior.
A contenção de serpentes muito agressivas e perigosas ( surucucu) é realizada com maior segurança se for feita com o auxilio do pau-de-couro, que deve ser colocado atrás da cabeça da cobra para prender firmemente o pescoço.

Quando se precisa conter uma serpente peçonhenta para examiná-la ou para que sejam aplicadas injecções, utiliza-se o laço e nunca o gancho, pois, ao debater-se, o animal pode escapar facilmente do gancho. Se, por qualquer razão, não for possível utilizar o laço e se, ainda, por absoluta necessidade for preciso conter uma serpente peçonhenta com as mãos, o gancho é um importante instrumento de auxílio, obedecendo-se ao seguinte procedimento:

1 - Coloca-se a serpente no chão com o auxílio do gancho;

2 - Pressiona-se a cabeça da serpente de maneira firme, tomando cuidado para não machucá-la;

3 - Segura-se a cabeça do animal pela parte mais larga, colocando de um lado o dedo indicador e do outro o dedo polegar; a serpente deverá abrir a boca, mas não conseguirá fecha-la por causa da pressão dos dedos nos lados da cabeça.

Para desvencilhar-se de uma serpente peçonhenta que esteja segura na mão, deve-se agir da seguinte maneira:

1 - Com a mão que está livre segura-se a cauda da serpente e de um só golpe lança-se, rente ao chão, o animal a aproximadamente 1,5 metros de distância, de maneira que caia afastada e de barriga para cima.

Assim, a serpente precisará de alguns segundos para se recompor e ficar na posição de desferir o bote. Deve-se também tomar cuidado para não ferir o animal durante a manobra.


O autor não estimula a manutenção de serpentes peçonhentas que não por Instituições, como zoológicos e institutos destinados à produção de anti-veneno e que, comprovadamente, disponham de total segurança e recursos humanos plenamente capacitados para o trato com estes animais.







© MRJ Peste Control